Quando ficaremos sem combustíveis fósseis?

  • Vlad Krasen
  • 0
  • 1113
  • 357
O que faremos se ficarmos sem combustível fóssil? Comstock / Thinkstock

Cenários apocalípticos sobre quando o globo ficará sem combustíveis fósseis estão fluindo desde a década de 1950, quando o geólogo da Shell M. King Hubbert criou um modelo matemático que mostra o que aconteceria com a produção doméstica de petróleo nos Estados Unidos nos próximos anos. Conhecido como Curva de Hubbert, mostra como a produção inicial em um novo campo de petróleo aumenta drasticamente, depois atinge um platô e finalmente entra em declínio constante. Hubbert previu que a produção de petróleo dos EUA atingiria o pico em 1969. Ele foi ridicularizado, até que a produção de petróleo realmente atingiu o pico em 1970, e então entrou em um longo declínio. A teoria de Hubbert faz sentido, porque os combustíveis fósseis são não renováveis ​​e em quantidade finita.

Hubbert usou números sólidos e som, lógica inescapável. No entanto, outros fatores entram em jogo quando se tenta prever o fim do suprimento de combustíveis fósseis.

Enquanto o mundo está usando mais máquinas de combustível, os processos que usam combustíveis fósseis estão se tornando mais eficientes. O ataque básico na frente de eficiência está nos veículos. Quando a crise do petróleo atingiu os anos 1970, os carros passaram de uma média de 10 milhas por galão para mais de 17 milhas por galão ou mais em menos de uma década. A mudança foi estimulada, acredita a maioria dos especialistas, pelo aumento dos preços dos combustíveis.

O aumento mais recente nos preços dos combustíveis também gerou mudanças. Os veículos híbridos e elétricos são mais comuns nas estradas. Veículos maiores, como o Hummer e outros bebedores de gasolina, são menos parte do estilo de vida americano do que antes.

Essa mudança no estilo de vida também terá um efeito sobre quando os combustíveis fósseis acabarão. A pesquisa da AAA mostrou que os americanos dirigem distâncias menores do que no passado, com menos viagens. Embora isso seja atribuído principalmente ao aumento dos preços do gás, o efeito líquido é usar menos combustível e gastar menos dinheiro, aumentando assim as reservas cada vez menores. Essas mesmas medidas de redução de custos se aplicam à eletricidade, água quente e aquecimento doméstico. Na verdade, municípios inteiros, não apenas famílias individuais, estão economizando dinheiro usando menos energia.

Além de usar menos combustível fóssil, as pessoas estão recorrendo à alta tecnologia para reduzir a quantidade de combustível que usam. Um exemplo comum é a lâmpada fluorescente. A economia é pequena, mas o número crescente de usuários provavelmente terá um efeito no uso de eletricidade, diminuindo a quantidade de combustíveis fósseis usados ​​para produzir a potência necessária. Organizações maiores, como universidades e grandes empresas, estão usando software de alta tecnologia para controlar sistemas prediais como iluminação e aquecimento para reduzir alguns dólares das contas de combustível totais aqui e ali.

Por fim, os mesmos preços altos estimularam pesquisas sobre novas fontes de combustível fóssil, como o xisto betuminoso, e também combustíveis alternativos como solar, eólico e biodiesel.

O que o futuro reservará para os combustíveis fósseis é incerto. Que a oferta vai acabar é quase certo, mas quando isso vai acontecer - e os efeitos que terá na sociedade - resta apenas especulação.




Ainda sem comentários

Os artigos mais interessantes sobre segredos e descobertas. Muitas informações úteis sobre tudo
Artigos sobre ciência, espaço, tecnologia, saúde, meio ambiente, cultura e história. Explicando milhares de tópicos para que você saiba como tudo funciona