Como funciona a ergonomia automotiva

  • Vova Krasen
  • 0
  • 3944
  • 872
Galeria de imagens de segurança automotiva O pesquisador da Universidade de Iowa, Dr. Jeffery Dawson, dirige uma versão mais recente do veículo Automóvel para Pesquisa em Ergonomia e Segurança (ARGOS). É usado para prever habilidades de direção seguras e inseguras em motoristas mais velhos. Veja mais fotos de segurança automotiva. Foto AP / Brian Ray

Os dicionários geralmente definem ergonomia como uma disciplina científica que usa princípios de biotecnologia e engenharia para tornar os produtos mais confortáveis ​​para trabalhadores e consumidores. Mas a ergonomia não envolve apenas design. Também influencia a forma como usamos as coisas.

No contexto de um carro, isso significa considerar qualquer coisa, desde a colocação de um dial de rádio até como uma pessoa se senta no banco do passageiro. Uma engenheira de ergonomia da Ford descreveu seu trabalho como "engenharia de fatores humanos" [fonte: Autoweb]. Portanto, embora os engenheiros possam projetar carros para serem ergonomicamente amigáveis, isso não significa que um projeto funcionará para todos os usuários, especialmente se o carro for projetado para uma pessoa de certas proporções.

Também cabe a nós, passageiros e motoristas, ficarmos confortáveis. Por exemplo, se você for um motorista e posicionar seu assento de forma que seus pés mal alcancem os pedais, você pode induzir a uma tensão desnecessária em seus braços - assim como sentar muito perto pode causar dores nas pernas ou nas costas. A posição do assento, a postura e o tempo gasto no carro podem afetar a saúde de uma pessoa. De acordo com um estudo, se você dirige quatro ou mais horas por dia, tem seis vezes mais chances de desenvolver problemas nas costas [fonte: Driver Ergonomics]. Os distúrbios musculoesqueléticos também são uma preocupação para os motoristas de longa distância, especialmente aqueles que dirigem para viver: motoristas de caminhão, taxistas e até policiais em patrulha.

Neste artigo, daremos uma olhada no design da ergonomia do carro e como tirar o máximo proveito deles para saúde, conforto, eficiência e segurança. Primeiro, vamos ver o papel que a ergonomia desempenha para uma pessoa no banco do motorista.

Conteúdo
  1. Ergonomia do assento do motorista
  2. Ergonomia do passageiro
  3. Colocação de controles de veículos
  4. Porões de carga de veículos

Ironicamente, a melhor maneira de aproveitar as vantagens da ergonomia do banco do motorista é não passar muito tempo no banco. Se estiver dirigindo em longas distâncias, você deve alterar sua posição ou sair do carro para caminhar e se alongar pelo menos uma vez a cada duas horas [fonte: Loughborough University].

Mas, esteja você no carro por períodos longos ou curtos, há coisas que você pode fazer para minimizar as complicações. Pesquisadores da Loughborough University sugeriram várias diretrizes para garantir a saúde dos motoristas. Esses pesquisadores criaram uma "posição inicial" ideal, a partir da qual o motorista ajusta vários controles para garantir o máximo de conforto, controle e uma boa visão da estrada e do sistema interno do carro. O assento deve ser empurrado para trás, mas o volante, se ajustável, deve ser colocado alto e próximo ao motorista. O encosto do assento deve ser reclinado 30 graus, enquanto a altura do assento e a almofada devem estar em suas posições mais baixas.

Depois de estabelecida essa posição inicial, o assento deve ser elevado para melhorar a visão do motorista na estrada. O assento também deve ser movido para frente e para cima para permitir ao motorista um bom controle sobre os pedais, sem causar dores nas pernas ou nos joelhos. Ajuste o encosto e o suporte lombar para fornecer suporte adequado; diminuir excessivamente o encosto pode causar dores nas costas e prejudicar o campo de visão do motorista. E não se esqueça do apoio de cabeça. Pode fornecer suporte crucial para o pescoço.

A etapa final é ajustar os retrovisores para maximizar sua visão da estrada e minimizar os pontos cegos, mas antes de fazer isso, mova o volante de forma que permita uma visão limpa dos controles e não toque em suas pernas enquanto dirige.

Na próxima página, veremos a ergonomia dos passageiros e também aprenderemos sobre algumas ferramentas que os engenheiros usam para tornar os carros mais ergonomicamente amigáveis ​​para passageiros e motoristas.

Lesões de direção comuns

De acordo com um estudo, cãibras nos pés são as lesões repetitivas mais comuns ao dirigir, seguidas por dores nas costas, rigidez no pescoço, dores nas laterais e nos olhos, que costumam causar dores de cabeça [fonte: Motion Trends].

Bonecos de teste como este ainda são usados ​​ao projetar carros, mas a realidade virtual e a modelagem por computador agora são partes essenciais dos kits de ferramentas dos engenheiros automotivos. AP Photo / Diether Endlicher

Realidade virtual (VR) é uma das muitas ferramentas de ponta que os engenheiros usam na ergonomia de carros. A RV poupa os designers da necessidade de criar um modelo em escala real. Em vez disso, um estilista pode ir em um passeio virtual como, digamos, uma adolescente, vendo como a colocação do cinto de segurança ou a escultura de um assento a afeta.

Como os seres humanos geralmente vivem mais, e também ficam mais altos e pesados, é importante que os carros sejam capazes de se adaptar para servir a populações mais diversas. Da mesma forma, a presença de mais motoristas e passageiros idosos significa que os carros têm que atender às suas necessidades; em particular, deve ser fácil para essas pessoas entrarem e saírem. O uso de modelagem virtual permite que os engenheiros simulem o comportamento de pessoas idosas ou com necessidades especiais, garantindo que os interiores dos carros sejam projetados e testados para uma população cada vez mais diversificada.

Apesar da utilidade da RV e da modelagem por computador, os protótipos físicos são importantes para testar projetos no mundo real. A Ford, por exemplo, cria protótipos chamados dólares depois de experimentar projetos em simulações virtuais [fonte: Autoweb]. Esses dólares são testados por engenheiros, outros funcionários da Ford e pessoas externas trazidas para oferecer uma perspectiva objetiva.

Embora esses métodos de modelagem forneçam muitos dados e flexibilidade, cabe aos engenheiros descobrir como usá-los da melhor forma. Por exemplo, um engenheiro pode ter que escolher se deseja deixar o assento do passageiro mais confortável, ajustando seu tamanho, forma ou posição em relação ao resto do carro (o que pode permitir que um passageiro tenha mais espaço para esticar as pernas).

Além de garantir conforto e facilidade de uso, o design ergonômico, ou a falta dele, tem um papel a desempenhar na segurança em caso de acidente. Muitos apoios de cabeça não são projetados de maneira ergonômica. Na verdade, não funcionam com o motociclista e apoiam a sua cabeça e pescoço, pelo que não proporcionam um apoio adequado em caso de colisão. Um estudo do U.S. Insurance Institute for Highway Safety mostrou que a maioria dos apoios de cabeça de automóveis não protegia bem contra chicotadas. O instituto testou 70 apoios de assento e de cabeça para proteção contra chicotada e apenas oito receberam classificações de "bom", enquanto 30 restrições foram classificadas como "ruins" [fonte: Croasum]. Algumas restrições não puderam ser testadas porque eram incompatíveis com passageiros altos.

Usar telefones celulares e mexer nos sistemas de navegação ao dirigir é uma preocupação crescente tanto para legisladores quanto para funcionários de transporte. Christopher Furlong / Getty Images

Os controles do veículo constituem uma parte essencial da ergonomia. De carros com ignição por botão - como muitos modelos Toyota, notadamente o Prius - a bancos elétricos, faróis automáticos, controle de temperatura automático e freios de estacionamento eletrônicos, a mais recente inovação ergonômica é frequentemente caracterizada pela automação e facilidade de uso. Esses recursos são, notavelmente, mais fáceis de usar para motoristas com deficiência e permitem que muitos motoristas simplesmente definam uma meta, como uma temperatura desejada de 72 graus Fahrenheit (22 graus Celsius), e o carro faz o resto.

Uma das tendências mais intrigantes em design ergonômico é a atenção agora dada aos drivers mais antigos. Todos os tipos de carros - incluindo carros esportivos - agora estão sendo projetados para ter controles com texto maior e melhor iluminação para maximizar a legibilidade, especialmente para motoristas mais velhos ou com deficiência funcional. Até as maçanetas das portas estão sendo feitas para permitir uma melhor aderência para pessoas com doenças como artrite.

Para projetar controles adequados para motoristas mais velhas ou mesmo grávidas, alguns engenheiros automotivos vestem macacões que limitam sua mobilidade e alcance de visão ou que vêm com uma grande barriga, simulando gravidez. Roupas elaboradas nem sempre funcionam, então os engenheiros costumam recorrer à realidade virtual e à modelagem por computador. Essa flexibilidade significa que um engenheiro pode facilmente testar como uma determinada configuração de controle pode ser usada por um homem de 6 pés e 200 libras ou por um 5 pés e 120 libras. mulher - e todos os intermediários. Esses programas também permitem testes para pessoas com deficiência, tipos de corpos incomuns ou necessidades especiais.

Com novos recursos, no entanto, surgem novos desafios. Dirigir distraído é uma grande preocupação, levando muitos estados dos EUA a aprovar leis que regulam o uso do telefone celular dos motoristas. Ao mesmo tempo, mais carros estão chegando equipados com sistemas de telefone viva-voz integrados, muitas vezes incorporando Bluetooth. Mas então surge o desafio de como tornar esse sistema acessível e fácil de usar sem distrair os motoristas ou exigir que eles tirem os olhos da estrada. Especula-se que os carros futuros dependerão mais de controles de áudio / voz, um recurso que existe até certo ponto em alguns veículos [fonte: Autoweb].

The Virtual Test Drive

A realidade virtual também permite que os engenheiros façam test drives virtuais, vendo como, por exemplo, a colocação de mostradores de rádio afeta a concentração do motorista enquanto está na estrada.

Parafraseando Freud mal, às vezes um porão de carga não é apenas um porão de carga. Ou seja, os porta-malas dos carros agora são empregados para diversos fins, além de transportar equipamentos ou pneus sobressalentes ou segurar malas no caminho para o aeroporto. Muitos baús agora incluem bolsos embutidos, abas que escondem as áreas de armazenamento de um pneu sobressalente e seu equipamento associado, um fundo emborrachado e tampas para esconder e proteger a carga. Muitos baús também são expansíveis (por meio de bancos traseiros que dobram), são removíveis ou desaparecem completamente no piso do veículo.

A flexibilidade do usuário e os complementos são o que há de mais moderno em inovação em porões de carga, com áreas de carga expansíveis que permitem que um carro sirva como qualquer coisa, desde um porta-cachorros de pelúcia até um espaço para sua bicicleta. Por exemplo, um Volkswagen GTI tem assentos traseiros que podem ser rebatidos, aumentando a área do compartimento de carga de 12,3 para 46 pés cúbicos (0,3 para 1,3 metros cúbicos). O Mercedes-Benz GLK350 vem com dois tipos de tomadas elétricas em seu porão de carga - uma tomada de 115 volts e um plugue de 12 volts - embora seja superado por outros veículos, como o GMC Acadia, que tem cinco tomadas no total. O Honda Element, frequentemente comercializado para entusiastas de atividades ao ar livre, tem um piso lavável, o que levou um site a nomeá-lo entre os 10 principais carros para uso não autorizado [fonte: Cars.com].

Muitas montadoras anunciam as áreas de carga de seus veículos, medidas em pés cúbicos, ou apregoam a capacidade de dobrar assentos. Mas todo esse espaço pode ser inútil se simplesmente se tornar uma extensão do armário bagunçado de alguém. É por isso que alguns fabricantes estão agora integrando organizadores de tronco, um acessório que tradicionalmente é vendido por terceiros.

E quando terminar de usar os cães, acampar ou carregar os cães, você não precisa se preocupar se suas mãos estiverem ocupadas. Os carros novos apresentam cada vez mais os chamados "fechamento suave", ou fechamento automático, de baús. Basta empurrar suavemente a porta da área de carga e o carro fará o resto, usando um motor para fechar a tampa firmemente no lugar.

Para obter mais informações sobre ergonomia do carro e como obter o máximo conforto do seu carro, dê uma olhada nos links na próxima página.

Mais do que apenas conforto

A ergonomia se estende a recursos do carro, como adicionar ruído artificial do motor a carros híbridos geralmente silenciosos.

Artigos relacionados

  • As 10 principais tecnologias para carros do dia a dia que surgiram das corridas
  • Como funcionam os hipercarros
  • Como funciona o transporte automotivo
  • Como funcionam os computadores para automóveis
  • Como funcionam os carros sem motorista
  • Como funcionam as linhas de produção automotivas
  • Você pode montar seu próprio carro?
  • O que torna um carro digital digital?
  • O que há de novo na tecnologia de óleo sintético?
  • Os reparos de automóveis no futuro prejudicarão você financeiramente?

Fontes

  • Autoweb. "A ergonomia do carro fornece o toque humano." 14 de dezembro de 2001.http: //www.autoweb.com.au/cms/A_54826/title_Car-Ergonomics-Provide-the-Human-Touch/newsarticle.html
  • Cars.com. "Você está pronto para jogar futebol? Cars.com anuncia os 10 melhores tailgaters." 5 de setembro de 2008.http: //www.cars.com/go/about/us.jsp? Section = P & content = rel & date = 20080905
  • Croasmun, Jeanie. "A ergonomia permite que aquele pequeno carro esportivo se torne o sedã do vovô." Ergoweb. 5 de dezembro de 2003.http: //www.ergoweb.com/news/detail.cfm? Id = 848
  • Croasmun, Jeanie. "Whiplash Study Focuses On Poor Head Restrain Design." Ergoweb. 24 de janeiro de 2005.http: //www.ergoweb.com/news/detail.cfm? Id = 1049
  • Universidade de Loughborough. "Driving Ergonomics." Http://www.drivingergonomics.com/
  • Universidade de Loughborough. "Ergonomia de veículos: guia de melhores práticas." 2007.http: //www.lboro.ac.uk/departments/hu/drivingergonomics/downloads/vehicle%20ergonomics%20and%20best%20practice%20guide.pdf
  • Mateja, Jim. "Mercedes-Benz GLK350 4Matic é entregue em grande estilo." iHaveNet. 2009.http: //www.ihavenet.com/Mercedes-Benz-GLK-350-4Matic-auto-review.html
  • Dicionário Merriam-Webster. "Ergonomia." Merriam-Webster Dictionary.http: //www.merriam-webster.com/dictionary/ergonomics
  • Tendências de movimento. "Quão confortável você está?" 26 de maio de 2006.http: //www.motiontrends.com/2006/2006csm/m05/ebaymotors/safe_driving.shtml
  • Padgett, Marty. "Revisão de qualidade 2010 Volkswagen GTI." The Car Connection.http: //www.thecarconnection.com/fullreview/volkswagen_gti_2010_quality_3
  • Reed, Matthew P. "The Virtual Driver: Integrating Cognitive and Physical Models." Instituto de Pesquisa em Transporte da Universidade de Michigan. 2007.http: //mreed.umtri.umich.edu/mreed/research_dhm.html#virtual_driver
  • Reed, Matthew P. "Pesquisa de Ergonomia para Motoristas e Passageiros de Veículos". Instituto de Pesquisa em Transporte da Universidade de Michigan. 2007.http: //mreed.umtri.umich.edu/mreed/research_ergonomics.html
  • Shenhar, Gabe. "Dirigir com lesão: características que podem aliviar a dor." Relatórios do consumidor. 11 de agosto de 2009.http: //blogs.consumerreports.org/cars/2009/08/handicap-driving-challenges-convenient-car-features-to-ease-the-pain.html



Ainda sem comentários

Os artigos mais interessantes sobre segredos e descobertas. Muitas informações úteis sobre tudo
Artigos sobre ciência, espaço, tecnologia, saúde, meio ambiente, cultura e história. Explicando milhares de tópicos para que você saiba como tudo funciona